O Dia em que uma Borboleta Ensinou meu Filho a Andar de Bicicleta

bicycle-265116_960_720Dia das Crianças chegando e você pai, sabe como é complicado esconder uma bicicleta de seu filho. Montar escondido, guardar na casa de amigos, na garagem, dentro do carro. Acordar antes dele, esconder evidências, planejar a surpresa e o contentamento. É uma operação complexa e exige logística, paciência e muita cumplicidade com a mãe.

Você já passou por isso?

Ganhar uma bicicleta é talvez o presente mais emocionante que uma criança pode receber. O brilho nos olhos, a excitação e a vontade louca de montar e sair logo andando e descobrindo o mundo! Não fossem as rodinhas.

Durante muitos momentos de nossas vidas andamos com rodinhas. No encontro com as dificuldades, buscamos o apoio e o conselho de amigos, parentes, cônjuges, profissionais, psicólogos, religião, Deus. Conquistar o equilíbrio necessário requer a humildade de reconhecer as fragilidades, tentar, aprender e buscar ajuda a quem já o conquistou. Isso vale para a carreira, vale para o amor, vale para a paternidade, vale enfim para todos os desafios que enfrentamos na vida. As rodinhas representam o suporte necessário enquanto o amadurecimento para equilibrar-se não vem.

Tive o privilégio e um imenso prazer de devolver a meu filho uma grande lição que recebi de meu pai: ensinar a equilibrar-se sem as rodinhas da bicicleta. O gramado amplo, sem obstáculos, o dia bonito, a serenidade na alma. O mesmo cenário de minha infância. Nunca mais esqueci esse dia!ohbaby-bike-ride_newlargeA conversa gostosa, ao pé do ouvido. Ouvir sem se olhar. As mãos dele firmes no guidão. O medo disfarçado pelo riso nervoso. Minha mão oculta no selim, compensando a gravidade teimosa e dando a segurança necessária para o equilíbrio solitário. De repente, o diálogo vira monólogo. Sem entender, ele olha para trás e vê que eu já estou distante. Aí acontece a súbita percepção da conquista involuntária da liberdade. A alegria sublime, seguida do tombo.

Quando meu pai soltou meu selim, anos atrás, senti por um instante que havia sido traído na confiança. Fiz o mesmo com meu filho porque entendi que com aquele gesto ele estava me ensinando a viver.

Ao correr ao seu encontro, caído na grama úmida, com um sentimento confuso de euforia e chateação, revivi com saudade a lição aprendida.

Quando fui me aproximando, reduzi o passo e percebi na hora um daqueles momentos de encantamento que eventualmente vivemos quando estamos em comunhão com nossa natureza e criação. Como se o tempo tivesse parado, observamos, pai e filho, que uma pequena borboleta branca o rodeava insistente em um voo imprevisível, teimando em lhe pousar, como a polinizar o segredo de como é possível a um ser humano equilibrar-se sem as asas necessárias.

No momento seguinte que a borboleta se foi, mais uma criança no mundo havia aprendido que nem sempre seu pai estará por perto a conduzir sua vida e evitar suas quedas, e que mesmo assim, saberá equilibrar-se e seguir adiante a própria estrada.butterfly-1563182_960_720

Leia também:

E se o pai de Beethoven tivesse colocado ele no judô?

As Lições que os Ídolos Infantis nos Ensinaram

Anúncios

7 comentários sobre “O Dia em que uma Borboleta Ensinou meu Filho a Andar de Bicicleta

  1. Pingback: Por que é tão importante para um pai ser chamado de pai? | Mamão Papai

  2. Pingback: A Cadeirinha de Bebê Mudou sua Vida e Você nem Percebeu | Mamão Papai

  3. Pingback: Perdas Infantis: Que Lições Tirar da Superação? | Mamão Papai

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s