Dia de Apresentação na Escola

school-937643_960_720

As apresentações feitas pelas crianças na escola nunca são fora do horário comercial. Daí a correria que temos que realizar sempre que recebemos a convocação. Largamos reuniões no meio, corremos pelas ruas, pegamos táxis, para enfim chegarmos suados, esbaforidos, mas felizes por não nos atrasarmos.

Assisti às mais diversas apresentações: teatrinho, dia dos pais, carnaval, festa junina, balé, judô, música e até mesmo de dia das mães. E sempre de posse da indefectível câmera fotográfica, tão criticada pelas mães, mas companheira inseparável do pai coruja.

E então, no meio do imenso tumulto de pais, vislumbrei meu filho se preparando para a exibição. Enquanto vestia sua fantasia, recheada de papel crepom, procurava com olhinhos ansiosos a figura familiar na platéia.

O encontro dos olhares é um momento mágico! Como por encanto, o sorriso sereno brota em seu rosto enquanto suas ruguinhas de preocupação desanuviam. Como que imbuído de uma autoconfiança, assume o seu papel na pecinha teatral, certo de que estava sendo observado (e fotografado) pelo seu pai.

A vontade de acertar e corresponder às expectativas sobrepõe a ansiedade e o nervosismo, natural e compreensivo, enquanto olhares esguios a confirmar a presença do pai durante a apresentação são percebidos e correspondidos.

Ocorre que nem todos os pais podem (ou desejam) participar de todos (e são muitos) momentos de exibição. E as crianças sentem. Muito! Percebia várias delas buscando tristemente o pai na platéia até o final do ato, sem sucesso. Mesmo assim, se mantinham firmes, pois sempre havia uma testemunha de seu desempenho.

– Você gostou, papai?

A pergunta, feita em tom excitado, não esperava uma resposta crítica, lógica ou pragmática. É apenas uma formalidade emocional para que o abraço de gratidão encontre o abraço de felicitação.

O que importa se ele esqueceu a fala, se pisou na fantasia e a palmeira despencou, se trombou com o coleguinha e o cenário desabou ou se teve uma crise de choro e foi retirado do palco pela Tia cenógrafa-música-diretora-coreógrafa?

No final, damos parabéns, dizemos que estava ótimo e que ele foi muito bem!

Não estamos mimando, estragando ou impedindo seu amadurecimento como ser humano.

É simplesmente orgulho puro e simples de pai.

father-551921_960_720.jpg


Leia também

Como me Tornei Ator Involuntário de Peças Infantis?

La La Land e o Discurso Ignorado que não será Esquecido


Conheça nossa página no Facebook!


O que achou deste texto?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s